Wednesday, October 15, 2008

Baluarte

Minha arte é
Meu baluarte
Nela, sou
Intrépido
Vulnerável
Execrável, até
Exíguo e
Gigante ante
Mim
Mesmo
Sendo
Eu mesmo
Repetitivo
Repito (e vivo)
Na mira
Da ira
De mim
Mesmo
Assim,
Delongo o fim
À porfia
Do por fim e
À beira do
Fim
De mim.

(Dimas Gomes)

6 Comments:

Blogger Dudu said...

Sempre que retorno, um texto melhor, um poema melhor, um tudo melhor. Você tá sempre se aperfeiçoando. Parabéns e não deu mais chabu. :D

9:11 AM  
Blogger Loredana said...

F5 e... Baluarte!

Nao tem jeito, se passar 1000 anos sem postar, so vem coisa boa... um melhor que o outro!

ME NI NO DA NA DO

adoroooo!

9:38 AM  
Blogger Loredana said...

Se der chabu de novo, é xadrezinho!

=*

9:38 AM  
Blogger heberfechine said...

olhe qd abrir uma vaguinha na academia dos imortais, vamos começar uma campanha pró Diable.

10:17 PM  
Blogger Gabriela said...

Deixo pra depois, pois agora retiro o tiro repetido no dia que tu terás ido.
Ai, deixo o jogo de palavras pra tu mesmo! shauhsuhsushaushu
Beijo, meu xuxu!
Saudades!

3:07 PM  
Blogger Luciana said...

Eu mesmo
Repetitivo
Repito (e vivo)
Na mira
Da ira
De mim
Mesmo

Me descreveu hein!

Gostei desse espaço aqui.Parabéns

9:40 AM  

Post a Comment

<< Home